Author Archives: Andrés Rodríguez Ibarra

About Andrés Rodríguez Ibarra

Filósofo, autor de uma tese sobre a liberdade em Foucault, defendida em 2008 na USP.

Sobre o costume de acampar

Recentemente, retomei o acampamento em minha vida. Uma atividade que estava há anos relegada, ainda que tenha feito parte, desde a mais remota infância, da minha formação como ser humano. “Nunca acampei”, ou, então, “acampei somente uma vez, pra nunca … Continue lendo

Publicado em Hábitos | Deixe um comentário

A propósito da condenação de Lula

NOSSO WONKA Muito se reclama dos tempos que vivemos no Brasil atual. Um conjunto de circunstâncias tem feito com que tenhamos nos desentendido com gente, amigos, com os quais costumávamos concordar quando o assunto adentrava a política. Circunstâncias, cabe notar, … Continue lendo

Publicado em Política | Deixe um comentário

Poesia Sem Fim, de Alejandro Jodorowsky

A ARTE DE FUGIR DA GRANDILOQUÊNCIA SEM SE APEQUENAR Fui assistir ao filme Poesia sem fim do chileno Alejandro Jodorowsky com uma expectativa múltipla. Primeiro, por se tratar de um cineasta conterrâneo meu e de alguém que ganhou fama internacional … Continue lendo

Publicado em Arte, Filmes | Deixe um comentário

Ruídos – A Coreografia da Violência, de Wagner Hermusche

UMA PINTURA DEVERAS CONTEMPORÂNEA A exposição Ruídos – A coreografia da violência, atualmente em exposição no Museu Nacional da República, reúne duas séries de pinturas de Wagner Hermusche. Séries que distam uma da outra em algo como vinte anos. Interessante … Continue lendo

Publicado em Arte, Ideias e condutas | 2 Comentários

O Cidadão Ilustre, de Mariano Cohn e Gastón Duprat

A DANÇA QUASE IMPOSSÍVEL ENTRE O PRIMITIVO E O ELABORADO Tenho a impressão de que Mariano Cohn e Gastón Duprat, esses dois cineastas argentinos que já haviam surpreendido com O homem ao lado (2009) – e agora o fazem novamente … Continue lendo

Publicado em Arte, Filmes | Deixe um comentário

Paterson, de Jim Jarmusch

A VIDA NA CIDADE DA PALAVRA O outro dia, uma amiga um pouco mais jovem contou como foi sua primeira ida, ainda adolescente, ao Cine Brasília. Foi com um amigo e ambos saíram de lá sem entender o que havia … Continue lendo

Publicado em Filmes | Deixe um comentário

Besta Fera Pop Fauna, de Raquel Nava

JOGANDO XADREZ NAS ALTURAS Para muitos – mormente aqueles que, de um modo ou de outro, têm um envolvimento com o fenômeno artístico – é óbvio o que direi a seguir: a arte contemporânea se define por levar a cabo … Continue lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Gestores vs. Políticos

ALGUÉM QUE OLHE PRA NÓS Foi, esse que passou, um ano que produziu, ao menos, dois grandes sustos, ambos tendo acontecido em lugares tidos como centrais para o mundo tal como ele hoje se configura. Fomos dormir, na noite anterior, … Continue lendo

Publicado em Política | Deixe um comentário

O Filho de Saul, de Laszlo Nemes

Sobre o filme “Filho de Saul” e a estética do sublime Por Matheus e Dora Gorovitz O mon Dieu, donne à chacun sa propre mort, donne à chacun la mort née de sa propre vie où il connut l’amour et … Continue lendo

Publicado em Filmes | Deixe um comentário

O Mestre dos Gênios, de Michael Grandage

UM PAI DE FEIÇÕES CLÁSSICAS Um filme pode ser perfeito? Até ter visto O mestre dos gênios, de Michael Grandage, eu acreditava que não. Como assim, perfeito? Que palavra mais alheia ao universo da crítica! Nada é perfeito, ainda mais … Continue lendo

Publicado em Filmes, Ideias e condutas | Deixe um comentário