Um exílio de 8 dias – Parte III

Boa música, comida e bebida, pinturas e fotografias belíssimas: tudo isso sendo o resultado de empenhos, passados e presentes, que trazem consigo uma materialidade carinhosa. A arte é uma espécie de cicatriz coletiva, que nos provoca uma gama de sensações que vão da mais estrita dor, o mais carregado pesar, ao mais alto júbilo e à mais ardente esperança de cura. Paremos, dialoguemos, vejamos, sintamos, experimentemos, sendo isso que somos, humanos.

Anúncios

About Andrés Rodríguez Ibarra

Filósofo, autor de uma tese sobre a liberdade em Foucault, defendida em 2008 na USP.
Esta entrada foi publicada em Arte. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s