Um exílio de 8 dias – Parte V

O que seria da vida das cidades sem seus parques, seus “bosques”, “jardins”, praças? E o que seria de minha fotografia sem as crianças? Em cena, um domingo no Parc Floral do Bois de Vincennes, onde houve uma apresentação do guitarrista Biréli Lagrène.

Não foi o que vi quando lá estive, mas algumas das cenas retratadas, parece-me agora, bem que poderiam ter sido capturadas por contemporâneos de Manet ou Renoir — ou por eles mesmos, pra todos os efeitos.

Anúncios

About Andrés Rodríguez Ibarra

Filósofo, autor de uma tese sobre a liberdade em Foucault, defendida em 2008 na USP.
Esta entrada foi publicada em Arte. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 Responses to Um exílio de 8 dias – Parte V

  1. Mario Salimon disse:

    O parque é só um pretexto para essa recordação da inocência. Lindas fotos compadre.

  2. Moacyr disse:

    Nada como a singeleza de uma criança para dar mais luz à cidade-luz.

  3. Que hermosa fotos, me llena de emocion y alegria…… Felicitaciones!!!!!,

  4. Alfonso disse:

    Andy:

    As fotografias desse domingo no parque, focalizadas na beleza e candura das crianças, estão simplesmente lindísimas. Puro arte, grande sensibilidade para retratar a vida! Parabéns. Alfonso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s